Vencedora da edição 2016 destaca importância do Prêmio Inova para implementação de ideia voltada para questões sociais

 

"A ideia propõe a capacitação dos servidores do Estado de Minas Gerais para se comunicarem pela Língua Brasileira de Sinais - Libras, que é o meio de comunicação e expressão dos Surdos no Brasil, e legalmente oficializada.

Essa ideia surgiu quando percebi que mesmo com dispositivos legais que normatizam a acessibilidade e inclusão, ainda há muitas lacunas a serem preenchidas e os Surdos enfrentam diversas barreiras na sociedade, principalmente com relação a comunicação. E estando na CAMG, vendo o número de pessoas que circulam aqui por dia e sem um intérprete nas dependências da CAMG ou servidores com conhecimento em Libras, identifiquei que fica precário o atendimento às pessoas Surdas.

Essa ideia convergiu com uma demanda interna da UEMG de inserir a disciplina de Libras nos cursos de Graduação e também chamou a atenção de outras Secretarias que entraram em contato comigo para desenvolver o trabalho.

Diante dessas demandas, houve uma articulação entre a Pro Reitoria de Extensão, junto à Coordenadoria de Educação à Distância da UEMG e foi construído o curso de Introdução a Língua Brasileira de Sinais - Libras, na modalidade a distância. A Universidade do Estado de Minas Gerais proveu os recursos necessários para a construção do curso.

Já foi realizada a 1ª oferta (nov./2017 a jan./2018), capacitando aproximadamente 400 servidores, majoritariamente lotados nos postos do SINE, em diferentes munícipios do Estado. Os estudantes foram acompanhados, durante todo o curso, por tutores fluentes em Libras. O resultado foi muito positivo. Dando continuidade ao projeto, neste semestre está prevista a oferta da disciplina de Libras, na modalidade a distância, a estudantes de Graduação na Universidade.

O curso foi organizado de modo que possa atender a demandas diversas, já que a última unidade é sempre pensada e estruturada de acordo a necessidade do público.

O prêmio foi muito importante para a visibilidade desta questão social que precisa ser tratada com urgência, para que aconteça uma efetiva inclusão e acessibilidade. Também contribuiu para meu desempenho profissional e pessoal, tendo formação na área, atuei como professora conteúdista e formadora do curso, junto à equipe da Coordenadoria de Educação à Distância da UEMG".

 

EMILIANA ALVES DRUMOND

Servidora da UEMG

Trabalho inscrito no Prêmio: "Cidade inclusiva: Libras na CAMG"

3° lugar na categoria "Ideias Inovadoras Implementáveis", modalidade "Inovação em Políticas Públicas"